Submarino.com.br
Juliana Dacoregio Rotating Header Image

O ciclo das atenções

Da mesma forma que às vezes se está por cima, às vezes se está por baixo, há os momentos em que você está cercado de amigos, convites,  mensagens no celular, visitas… Todos te querem. Todos desejam a sua presença, almejam sua companhia como se você fosse a alegria de qualquer festa (mesmo que não estejamos falando exatamente de festas). Você acha que aquilo vai durar para sempre, mas nunca vai. Logo o mundo silencia e você cai no vácuo. Aí, dói, dá saudade, cadê todo mundo? ‘Todo mundo’ está cuidando de suas vidas. Ou acham que você não precisa deles. Quase sempre a segunda opção. Acham que são dispensáveis, que você não sente falta. “Ah, ela é tão auto-suficiente!” E você até pede, chama. Mas aprendeu a não pedir tanto, a não chamar tanto porque já chamou muitas vezes e só ouviu o eco da própria voz. Até que de repente você também se aquieta. Está só, ‘ESTÁ você’, é totalmente verdadeiro, é o que é. Um ser humano qualquer. Importante? Sim. Precioso? Também. Mas, sozinho. Sozinho para se conhecer, se entender, para abaixar a cabeça e reconhecer a própria fragilidade, a própria finitude.

Então, você pega um livro pra ler e sabe que logo os convites e o carinho voltarão a chover. Mas não pensa nisso. Tudo tem seu tempo. E às vezes todas as coisas estão misturadas. Nada importa agora. O que importa é esse cantinho dentro do seu coração, essa coisa a que chamam alma, que só você conhece. Esse olhar que só você enxerga por completo no espelho.

NAMORE-SE.

Be Sociable, Share!

11 Comentários on “O ciclo das atenções”

  1. #1 Tati
    on Feb 22nd, 2012 at 01:30

    Tava precisando desse texto.

  2. #2 Edson Rossatto
    on Feb 22nd, 2012 at 01:46

    Linda palavras. Lembra um poema do Mário Quintana muito bonito e que tive o prazer de declamar em vídeo. Permite que eu poste aqui? http://www.youtube.com/watch?v=OVc74LSc_DU
    Mais uma vez, um texto digno de aplausos.

  3. #3 Ariane Miranda
    on Feb 22nd, 2012 at 01:51

    “Ah, ela é tão auto-suficiente!” … Sofro disso, por nunca pedir ajuda as pessoas se acostumaram e pensam que nunca preciso delas. Mas eu preciso.

    Tem dias que sufoca!

  4. #4 Juliana Dacoregio
    on Feb 22nd, 2012 at 03:25

    Uma eterna gangorra. Aprender a conviver com ela é aprender a viver. http://t.co/8RU5IyLu

  5. #5 Juliana Dacoregio
    on Feb 22nd, 2012 at 03:26

    Texto novo no Paperback: O ciclo das atenções http://t.co/DVih4Ffh

  6. #6 Danilo Portela
    on Feb 22nd, 2012 at 03:29

    Gostei RT @JuDacoregio: Texto novo no Paperback: O ciclo das atenções http://t.co/GoFSajCs

  7. #7 Juliana Dacoregio
    on Feb 22nd, 2012 at 11:30

    Gostei RT @JuDacoregio: Texto novo no Paperback: O ciclo das atenções http://t.co/GoFSajCs

  8. #8 Helen Araújo
    on Feb 23rd, 2012 at 21:28

    Muito bom!

  9. #9 O Pensador Selvagem
    on Feb 23rd, 2012 at 22:40

    O ciclo das atenções | Paperback Writer Girl http://t.co/cLFzOyTz

  10. #10 Jazz @brabul
    on Feb 24th, 2012 at 00:58

    Pode parecer umbiguismo, mas se a pessoa não se confortar com a companhia dela mesma… nem que todos os convites chovam, nada será suficiente…

    Ótimo texto.

    E é só a gente cuidar direitinho da nossa vida, SENDO FELIZ que o Universo se encarrega do resto.

    Convites são consequência, e não a finalidade =)

  11. #11 ❤ Jazz
    on Feb 24th, 2012 at 02:55

    Fica a Superdica da Juliana. http://t.co/NTHhg9Vm

Deixe um comentário